Arquivo

Posts Tagged ‘Biscoito’

As difíceis decisões

maio 6, 2011 3 comentários

Há momentos na vida os quais temos que encarar com maestria.
Temos que ser perspicazes e pensar com clareza.
Infelizmente, não foi o que me ocorreu há alguns dias.

É bem sabido que temos muito na vida a aprender e lidar.
No caso citado a seguir, no entato, fui pego “sem calças”.

A vida é feita de escolhas.
Tais escolhas é que moldam nosso futuro.
E assim foi…

Estive no supermercado para fazer as corriqueiras compras semanais.
Sim, meus caros… O jovem padawan universitário aqui tem que encarar essa rotina de compras. E de estresse.

Ora, por quê? Fazer compras é tão legal…

Entendam o sofrimento.
Elaborei um top 3 de itens básicos e constantes em minhas compras. Vamos lá!

1. Passo sempre pelas prateleiras de biscoitos.
Não há alimentos fúteis mais necessários a um jovem recém-saído da casa dos pais do que os tão “benéficos” biscoitos.
Alguns com alto teor de gordura, outros sem gordura trans, outros sem glúten, outros com e outros sem recheio.

Qual escolher?

Eu sempre fico ao menos uns 5 minutos pra escolher os biscoitos que irei comprar. Por mais que eu já tenha em mente que sempre irei levar os mesmos biscoitos, fico pensando nas possíveis ocasiões nas quais eu poderia comer os tais biscoitos.
Por exemplo: Se estou virando a madrugada na internet estudando filosofia, qual biscoito é mais adequado?
Descarto os biscoitos recheados. Dou preferência aos sem recheio e bebo um suco ou iogurte.
Na verdade, quase sempre descarto os biscoitos recheados. Não sou fã, enfim…

O xís da questão é que, de fato, sempre leve os mesmos biscoitos.

2. O hortifruti do supermercado é algo mais que fundamental para todo jovem aventureiro que se preze.
Sua mãe com certeza ficará orgulhosa de saber que você frequenta esta parte do supermercado. Melhor ainda: Ela se encherá de orgulho, amor, bênção e pagará todas as promessas se você comprar os itens dali e comê-los regularmente.
Olha que legal…

É, meuza migo, mas isso não é o que acontece. Como bem sabemos, os produtos sofrem bastante variação de preço e o incrível é que o preço sempre aumenta.
Você quer comprar mangas verdes para comer com sal e o kg da referida fruta custa o equivalente a 8 pacotes de biscoito.
Desculpa, mas as mangas ficarão para a próxima.

Você quer comprar bananas para comer com farinha láctea (desculpa se de vez em quando bate a nostalgia), porém o preço da banana é de chorar; o da farinha láctea, no entanto, é de cortar os pulsos.
Aí você chora por não comprar!

Eis que vem o ponto do problema:
Se as frutas ainda estivessem bem conservadas, tudo bem: Vale o “sacrifício”  de ver seus preciosos créditos do cartão sumirem com uma simples senha.
Infelizmente, eu não tenho essa sorte.
As frutas do mercado que frequento não têm a propriedade de serem bonitas e gostosas ao mesmo tempo. Os preços, seguem a mesma linha: Não são bonitos e gostosos pro meu bolso simultaneamente.

Paciência. É tudo o que você precisa…

3. O último lugar citado aqui hoje e não menos importante, é o setor de cosméticos de um supermercado.
As mulheres entram em polvorosa nesse momento e é, justamente, o local onde mais me perco e me estresso.
São três bilhões de opções de sabonetes, desodorantes, cremes hidratantes…

Ai, KM, como você é bobo… É tão simples essa parte!

Você mulher do sexo feminino, claro que deve pensar de tal forma. E não por menos: Vocês são experts nesse assunto.
Agora imaginem vocês que um jovem universitário longe de casa há mais de uma semana esteja na frente de uma prateleira como esta:

É, meus caros… A coisa se complica.
O critério de escolha dos itens segue uma lógica. Observe:

Desodorante – É o de sempre;
Sabonete – É cheiroso, antibacteriano e barato? Compro.
Shampoo Ehrr… bem…

Estive eu com a difícil tarefa de escolher um shampoo e um condicionador. Sim, pois eu sou do tipo que lava o cabelo.
Mas e aí?
Qual sabor escolher?

Eu me deparei com um arco-íris de cores dos mais variados formatos de embalagens “shampoorescas”.
A tarefa da escolha é tecnicamente simples: Você escolhe aquele produto que mais se adequa ao seu tipo de cabelo, certo?
ERRADO!

Você não tem tempo o suficiente para ficar olhando a descrição de cada embalagem, então o que você faz?
Resposta: Usa dois dos seus cinco sentidos!

VISÃO: Escolha uma cor de sua preferência.
OLFATO: Abra a embalagem e cheire o produto.

A cor da embalagem e o cheiro do produto te agradaram? Compre!
Escolhi a cor azul. Havia umas 4 embalagens azuis.
Abri todas as embalagens de shampoo, as cheirei e escolhi uma.

Seria simples se eu tivesse utilizado esse critério nos primeiros dos 15 minutos de observação. Não é exagero.
Nesse meio tempo, algumas mulheres passavam e me olhavam de longe com suas risadelas contidas. Eu lá tenho culpa de ser leigo no assunto, senhoras?
O interessante nisso tudo é que, ao chegar em casa, li atenta e pacientemente a descrição do produto. Era adequado ao meu tipo de cabelo!
Sigam esta dica, ó jovens desavisados e impacientes aventureiros de supermercado.

•••

Basicamente, é isso, pessoal.
Voltarei com mais uma das minhas aventuras de jovem universitário enfrentando essa vida longe de casa. Da minha casa.

Se vocês têm/tiveram dificuldades ao fazer compras no supermercado, comentem aí embaixo.
Caso não se enquadrem em nenhuma das opções supracitadas, comentem assim mesmo.

😀

texto inspirado no post do Quarto Universitário

Sedentarismo

novembro 18, 2009 6 comentários

Hey oh!

Tá tudo certo com vocês, leitores?

O tema do telecurso post de hoje é… Sedentarismo.

Vocês logo ficaram temerosos em ouvir esta palavra, visto que grande maioria de vocês (senão todos) são/estão sedentários.

Como este é um blog com classificação indicativa de 10 anos, é bem provável que algumas pessoas não saibam a definição do vocábulo acima proferido.

Se eu estivesse de mal humor, pediria gentilmente que fossem ao Google e digitassem a palavra “Sedentarismo” para conhecer o significado da mesma.

Mas, como bem sabem, sou uma boa pessoa. Eis a definição:

O sedentarismo pode ser definido como falta de atividade física suficiente e pode afetar a saúde da pessoa.

Definição vaga, confesso. Mas é o suficiente por ora.

A falta de atividade física não significa “não praticar esportes”. Pessoas que costumam praticar atividades físicas regulares,  como limpar a casa,  caminhar para o trabalho (ou escola, ou padaria, ou qualquer lugar), realizar funções profissionais que requerem esforço físico, não são classificados como sedentários. O sedentarismo acontece quando a pessoa gasta poucas calorias diárias com atividades ocupacionais.

Sentado à frente da TV, comendo biscoito, tomando refrigerante. Imagem clássica dum sedentário.

Geralmente, associa-se a imagem a pessoas com o peso acima da média.

Isso se deve ao fato de que, por não haver atividades físicas regulares, não há perda de calorias. Certo?!

E o que vem depois?

Acúmulo das células gordurosas no organismo, o que proporciona a tão famosa… obesidade.

Mas não é disso que venho falar.

O real propósito deste post é… Alertar!

Eis algumas questões:

  1. Quais as doenças associadas à vida sedentária?
    O sedentarismo é a principal causa do aumento da incidência de várias doenças. Hipertensão arterial, diabetes, obesidade, ansiedade, aumento do colesterol, infarto do miocárdio são alguns dos exemplos das doenças às quais o indivíduo sedentário se expõe. O sedentarismo é considerado o principal fator de risco para a morte súbita, estando na maioria das vezes associado direta ou indiretamente às causas ou ao agravamento da grande maioria das doenças.
  2. Como deixar de ser sedentário?
    Para que se atinja o mínimo de atividade física semanal, há várias propostas que podem ser adotadas de acordo com as possibilidades ou conveniências de cada um:
    • Praticar atividades esportivas como andar, correr, pedalar, nadar, fazer ginástica, exercícios com pesos ou jogar bola…
    Enfim: Mexer o esqueleto. Isso te ajudará, de modo geral, a melhorar a sua qualidade de vida. Segundo especialistas, recomenda-se a realização de exercícios físicos de intensidade moderada durante 40 a 60 minutos de 3 a 5 vezes por semana;

Convenhamos… Não é nenhum sacrifício. Temos tempo o suficiente para postar coisas no blog, twittar, orkutar, jogar videogame pesquisar, estudar, dormir, comer e não temos tempo para uma atividade física regular?

Pensemos um pouco a respeito de nossa situação diante da nossa saúde física!

Nunca é tarde!

Diga não ao sedentarismo… Para o seu próprio bem! 😀

%d blogueiros gostam disto: