Arquivo

Posts Tagged ‘Diversão’

Aprenda Alguma Coisa Todos os Dias #015

junho 17, 2010 3 comentários

Quando eu li essa informação, não me contive e tiver que rir.
Não, eu não ri espalhafatosamente como um “HEAUEHAUHEAUHEAUHAEUHEA” ou um enorme “KKKKKKKKKKKKKKKKKKKK“.
Eu achei engraçado e interessante. Esbocei um sorriso. Pronto.

Mas é fato de que isso me lembrou a minha infância. Explico abaixo o porquê.

Nooooossa, KM… Não acredito! Você comia seu catarrinho quando era criança é? Faz isso até hoje?

Não é isso, meus caros. Não é isso.
Sempre fui um rapazinho muito asseado e sempre limpava a goga verde (ou amarelo, ou verde-amarelo, ou amarelo esverdeado) que insistia em sair em momentos de choro, gripe ou espirros sem propósito.
E onde entra a bendita da infância?
Ora… Nos meus amigos, é claro.

Que atire a pedra quem nunca teve um amiguinho catarrento.
Que atire a pedra quem nunca teve um amiguinho/um coleguinha na rua catarrento e barrigudo.
Que atire a pedra quem nunca teve um amiguinho/um coleguinha na rua/um coleguinha na escola que era catarrento, barrigudo e, quando espirrava, limpava o catarro no uniforme escolar.

Mas é sério.
Eu, como um rapaz que realmente teve infância, convivi com isso.
Quando rolava um babinha* na rua, sempre tinha um que se destacava na multidão por estar com um catarrinho escorrendo pelo nariz. O curioso não é nem isso: Ele sempre sugava o catarrinho e ainda lambia a boca.
Outro fato curioso é o motivo da barriguinha avantajada. Sabemos que, na fase adulta, a culpa é da cerveja. Na infância, a culpa é das tão famosas vermes.

Por causa dessa cena clássica, comumente comparo algumas pessoas a “meninos barrigudos com o catarro verde escorrendo pela boca”.
Nada comum, não é?
Hoje em dia eu vejo como era tão bobo e inocente toda essa cena.
Uma criança tá ali com o nariz escorrendo e, muitas vezes, parece “ostentar” o muco que escorre do nariz. Ou talvez seja porque, depois de tantas tentativas, o danado não some e resolve-se deixar lá.
Chorando demais, um resfriado, seja como for, o catarrinho alguma vez apareceu no quadro da infância de todos.
E o que dizer, então, de pessoas adultas que “comem” o próprio catarro?
Eu nem sei o que dizer. Pelo que me disseram *assobio*, o catarro é salgadinho. Quem disse isso foi meu irmão! Vai ver é gostoso, sei lá. Se você resolver provar, vá até “Deixe um comentário” e conte a sua experiência pra gente, ok?


E para presenteá-los, eu não poderia deixar de expôr aqui algumas imagens interessantíssimas a respeito, não é?
Deliciem-se com essa sopinha, esse caldinho, essa vitamina de abacate que insiste em aparecer em alguns momentos da vida.
E se cuidem: O inverno está chegando e, com ele, bem… Você sabe! 😀

Eu ia postar imagens muito, mas muito nojentas. Agradeçam-me pelas fofurinhas logo abaixo na parte dedicada aos comentários.
E rolar um babinha* é o equivalente a “jogar um futebolzinho”.

KM ‘

Aprenda Alguma Coisa Todos os Dias #014

junho 15, 2010 1 comentário

Fóóóóóóóóóón!

E é ao som de uma irritante vuvuzela que começaremos o post de hoje.
Uma curiosidade curiosa está aí, logo abaixo. Confira e, mais abaixo, comentários pessoais a respeito.

Baseado em quê, pelo chumaço de algodão?
Nós, homens do sexo masculino, somos carrancudos e rimos menos.
Isso deve ser atribuído ao fato de que, antropologicamente falando, não fomos feitos para rir.

O ato de rir, de demonstrar felicidade, poderia sugerir fragilidade.
Sim, meus caros. Exatamente.
Os nossos ancestrais, para intimidar os inimigos, precisavam sempre mostrar a carranca de macho-alfa para que impressionasse os machos de outras tribos e os afugentasse.
Com o passar dos tempos, acabamos por incorporar essa características dos fulaninhos que nos antecederam.

Ora, KM… Já que você tá falando dos homens aí, explica porque as mulheres são as que mais riem, por favor.

Simples, meus caros.
Bem sabemos que os homens são muito mais razão e as mulheres são muito mais emoção.
Os homens iam à caça, protegiam os lares enquanto as mulheres ficavam em ‘casa’, cuidando da prole. Então, infere-se que os machos tinham muito mais com o que se preocupar e, com isso, menos tempo pra ficar achando graça do mundo perigoso em que viviam. As moçoilas, por outro lado, ficavam em suas ‘casas’ amamentando os filhos e executando tarefas mais light’s, mas não menos importantes que as dos homens.

Claro e evidente que rir é bom, é o “bicho da goiaba”, é divertido e etc, etc.
Ninguém aqui está dizendo que ser sério vai te fazer mais homem que ninguém.
E é fato que ficamos sérios, carrancudos quando enfrentamos um outro homem.
Queremos impôr nossa masculinidade, ser  o cara, o dono do pedaço.  Acreditem ou não, isso é comum a praticamente todas as espécies.

Mas há algumas coisas que não entendo a respeito das mulheres:

– Sangram todo mês;
– Viram bichos alucinados com sede de matança;
– Sofrem com o treino do parto mensalmente. Sim, eu falo das cólicas. (Eu sei lá se é a mesma dor! ¬¬);
– Sofrem com a dor excruciante do parto. Hoje não mais, com o advento do parto cesariano;
– Sofrem com a distribuição da gordura corporal;
– Sofrem com as maiores possibilidades de desenvolver câncer de mama…

… e ainda assim, têm inúmeros motivos para sorrir.

É isso.
Deve ser por isso que admiro tanto essas criaturas que Deus nos deu. 😀

KM ‘

Aprenda Alguma Coisa Todos os Dias #013

junho 11, 2010 2 comentários

Tuntz… tuntz… tuntz… ♫

Olá, caros amigos… Como têm passado?
Estive ausente por alguns dias devido a alguns problemas de saúde.
Mentira… Eu estive ausente por – além dos probleminhas de saúde – preguiça mesmo. Preferi ficar na cama, enrolado em cobertores, a ficar aqui disponibilizando coisas pra vocês.
Nãããão. Não me levem a mal. É uma questão de preguiça mesmo. Não é descaso com vocês.

Pra compensar, trago mais uma curiosidade curiosa.

Não é que as vaquinhas são bichinhos interessantes também?
As vacas são responsáveis por babar 150 litros por dia também por um processo de alimentação peculiar: Elas ruminam.
Uotafoca, KM… Que diabos é ruminar ?

Ruminar é o ato ou efeito de mastigar o alimento, enviá-lo ao estômago, trazer de volta à boca, mastigar e, por fim, engolí-lo de vez.

Eeeeeeeeeecaaaa… Que nojiinho!

É, caros amigos… Eu sei.
É um tanto quanto nojentinho.
Mas raciocinem comigo: Vaca come grama. Grama é difícil de digerir. Ruminar é legal. Grama é digerida. Vaca feliz.

Ora, é nojento pra você que come alimentos industrializados, macios e facilmente mastigáveis.

E, pra finalizar, R$1,00 pra quem descobrir onde foi o meu primeiro contato com a palavra ruminar:

a) Documentário sobre o comportamento animal em fazendas – as vacas, porcos e ovelhas – que passou na TV Cultura no ano de 1997;

b) Gibi da Magali. A personagem principal visitava um sítio onde observou o comportamento das vaquinhas. Lido no ano de 1996;

c) O Mundo de Beakman, programa televisivo infantil, mostrava cientificamente os movimentos peristálticos, os processos da alimentação humana e comparava com outros animais, incluindo as vacas. Visto em 1995.

d) Gibi do Chico Bento. O personagem principal estava cuidando dos animais e mostrava ao primo da cidade as curiosidades da fazenda. Porcos na lama e vacas na grama. Lido em 1996.

e) Sala de aula. A professora de ciências propôs uma atividade para pesquisar os animais mais curiosos de uma fazenda. Meu grupo – de três pessoas – escolheu a vaca. Nas enciclopédias, entendemos esse processo estranho das vacas. Ano de 1997.

That’s all for a while, dear friends.

😀

KM ‘

Sem Noção

Hello, Seattle… I’m a mountaineer…
Hey oh, caros pupilos do lendário senhor Miyagi, como têm passado?
Espero que estejam bem.
Espero que não tenham sofrido com dores musculares, catarro no peito, nariz entupido e febre de 38,5º.

Venho aqui hoje com a missão de divulgar um vlog (?) interessante.
O nome é “Sem Noção” (por que será?) e é protagonizado por dois sergipanos.

Assistam ao vídeo e vamos aos comentários. Ok?

Seria interessante um “Single Ladies” no próximo vídeo, hein? #dica

Dois jovens dispostos a fazê-los rir. Vale o clique e o comentário logo abaixo.
😀

That’s all, for a while.

Bill Gates X Steve Jobs

maio 26, 2010 1 comentário

Uia, uia, uia…
Como vocês devem saber, eu sou um geek. Em menor grau, mas sou.
E nesse clima geek que está essa semana, venho com mais um post “legal”.

Particularmente, confesso que ri muito com esse vídeo.
Tenho-o na minha lista de vídeos favoritos do orkut e resolvi postar aqui em homenagem àos ícones supremos da nerdaiada:
Steve Jobs e Bill Gates, Apple e Microsoft, respectivamente.

Assistam ao vídeo.
Se entenderem, riam.
Se não entenderem, riam assim mesmo.
😀

“- But there is no Windows…
EXACTLY! HAHA!

KM ‘

Loira HTML

maio 20, 2010 6 comentários

Dedicado a você, amigo nerd!
E aos que, mesmo sem entender bulhufas, gostaram da graciosa imagem…

É ou não é de uma “sagacidade” incrível?!

8)

KM ‘

Aprenda Alguma Coisa Todos os Dias #008

Uh lala!

Lá… Lá… Lá vem uma curiosidade fresquinha!
Mas fresquinha que o Justin Bieber…

Entenderam?
POODE matar.
Se quiser, comece por hoje e, daqui a duas semanas, volte com seu comentário a respeito… Se ainda estiver vivo, é claro.
😆

KM ‘

%d blogueiros gostam disto: