Arquivo

Posts Tagged ‘Globo’

Fim da Estampa

março 24, 2012 1 comentário

Tolice é se estressar por final de novela.
Ninguém pagou pelo canal, ninguém pagou pela atração e todo mundo tem o direito (e o dever!) de escolher o que lhe for conveniente. Ainda assim, temos um público insatisfeito. Ou, ao menos, disposto a satisfazer a opinião da maioria em prol de uma visibilidade social. Mas, ao fazê-lo, não estaria este se sujeitando à invisibilidade do caráter coletivo da opinião?

Onde se enquadra o indivíduo com a opinião individual na chamada “rede social”?
Teria ele o direito de reclamar?

Foi-se o tempo em que eu assistia às novelas. Que eu me lembre, acompanhei “O Beijo do Vampiro” e, acreditem, eu tinha 11 anos.
Não acompanhei a tal novela das 21h e estive com meu pai (!) esta noite e acompanhei o último capítulo da novela “Fina Estampa”. Ok, não acompanhei totalmente e fiquei perguntando quem diabos era Crô e o porquê de tanta enrolação. Teresa Cristina queria matar a tal da Griselda (que nome!) e blá blá blá.
Até aí, tudo bem.
Como não havia sequer acompanhado a novela, o final fora indiferente pra mim.
No entanto, como bom brasileiro que sou, tenho que comentar sobre aquilo que está em pauta, seja com uma crítica positiva ou destrutiva. Pois bem…
Não tecerei críticas à novela, posto que não tenho bases pra sustentar qualquer argumento. Entretanto, é inquestionável o caráter provocador dos telespectadores. Não basta assistir ao espetáculo: deve-se tecer comentários negativos (ainda que o objetivo não seja esse), porque o negativo chama a atenção.

Isso nada mais é do que o reflexo dessa onda de humor anti-ético, apolítico, antissocial, sarcástico e impune, trazendo a típica imagem de que o avesso, o oposto deve ser adorado para não cairmos no lugar-comum das piadas-clichês (e de ser clichê).
Ora… Percebe-se que se dá, portanto, o processo de massificação da contraversão. Tem-se assim o balanceamento (?) das discussões a respeito de todo e qualquer tema.
Para fugir da estereotipação, somos indiferentes. Ou fingimos ser, para que seja cool a imagem social. E se assim o somos, também somos atacados com opiniões contrárias.

O fato é que a necessidade do outro de instigar, provocar, arguir de forma incessante para provar um ponto nada mais é do que a nova roupagem adotada pelos lutadores da era digital: não se luta por alimentos, não se usa a força para provar um ponto. Há, em verdade, uma luta no ciberespaço para se autopromover e fazer-se “lido”.

A novela pode ter desapontado a muitos (muitíssimos, pelo visto), mas não há do que reclamar. O autor falhou ou se perdeu na sua própria criação? Até onde eu saiba, o público influencia na fruição da obra. O sentimento de posse é que o torna prepotente a ponto de julgar que aquilo que lhe é transmitido deve se moldar a sua linha de pensamento. Ora… Se tens o controle — na acepção maior da palavra —, use-o.
Afinal… Foi apenas uma novela. Sua vida também é e, nem por isso, ela vai ter o final agradável do modo que você espera.

[…]

Anúncios

Próxima novela…

setembro 26, 2010 Deixe um comentário

Vem aí, a próxima novela da Globo:

Disponível em HD  e também em 3D.
E você torce pra que ela te D.

Araguaia

KM ‘

%d blogueiros gostam disto: